Imagem
Foto/Imagem Correio

Festival A Cena Tá Preta celebra produção de artistas negros no Vila

Até dia 22 de outubro, festival leva ao Vila Velha diversas linguagens artísticas

A partir de hoje, o festival A Cena Tá Preta volta ocupar o Teatro Vila Velha para quebrar preconceitos e provar, mais uma vez, que se a coisa tá preta, é porque ela tá boa.

Desde que foi criado pelo Bando de Teatro Olodum, há oito anos, o festival tem como missão divulgar a arte negra nas diversas linguagens. Nesta edição, o Vila recebe dez dias de intensa programação, reunindo artistas do teatro, dança, música, literatura, cinema, performance e das novas mídias digitais.
Na abertura, logo mais, às 20h, a jornalista, youtuber e humorista Maíra Azevedo, a Tia Má, apresenta o stand up comedy De Cara com Tia Má, no qual aborda de forma bem humorada situações constrangedoras envolvendo raça, sexo e relacionamentos.   
Diversidade
Este ano, o festival A Cena Tá Preta também assumiu o compromisso dar visibilidade às questões de gênero, em um pedido de respeito à diversidade.

“Percebemos que as atrações têm em comum o forte discurso sobre as questões de gênero e da diversidade sexual, sintonizado com o momento em que se encontram as lutas das artes negras”, destaca Ridson Reis, ator do Bando de Teatro Olodum e um dos coordenadores do festival.
Por isso, o talento e as vozes reivindicatórias das mulheres por respeito e fim da violência sexista continuam a ressoar durante todo o festival. A cantora Larissa Luz apresenta seu Território Conquistado no domingo, às 19h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Além dela, passam pelo festival até dia 22 a cineasta Thamires Vieira, que discutirá a presença feminina na produção cinematográfica; as intelectuais Joana Flores e Lívia Natália, que vão abordar a literatura negra feita por mulheres na contemporaneidade; o espetáculo Mulheres do Àse - Uma Performance Ritual, que recupera o poder feminino ancestral; álém da cantora Luedji Luna, que apresenta o show Cais e Sais.

As pratas da casa também têm lugar garantido na programação. Dentre os destaques, o Bando de Teatro Olodum apresenta o infantil Áfricas; o casal Érico Brás e Kênia Maria apresentam o stand up Double Black; o espetáculo O Corpo na Cena, dirigido por Zebrinha, une dança, música, canto lírico e desfile de modelos trans.   

Serviço: Teatro Vila Velha (Passeio Público, Campo Grande). Até 22 de outubro. Ingressos: R$ 20 | R$ 10.


Compartilhar esta notícia

Notícias Relacionadas

0 comentário(s)

Faça o seu login ou cadastre-se para comentar!